Passe-vite, o eterno

Kookpunt

Objetos de Culto
Passe-vite, o eterno
Jean Mantelet é daqueles nomes que toda a gente devia conhecer. Não só foi o inventor do passe-vite mas também do moinho de café e da marca Moulinex que é, até hoje, sinónimo de electrodoméstico.

Mas voltemos ao passe-vite, essa forma maravilhosa de esmagar batatas e legumes cozinhados. Foi um êxito imediato, vendendo mais de 2 milhões de unidades entre 1933 e 1935. “Libére la Femme” foi um dos slogans da campanha publicitária que tinha como alvo o público feminino e a libertação da mulher das tarefas domésticas.

E apesar de toda a tecnologia dos últimos anos, das Siris e dos robôs de cozinha, uma coisa é certa: o passe-vite original - esse que o génio de Jean Mantelet um dia decifrou para uso da humanidade - continua a fazer o melhor puré de batata do mundo: o processo manual, pessoal e intransmissível que transforma batatas cozidas em puré, cria uma textura única... basta juntar manteiga.